"... faltam-me as vísceras de fora quando as palavras se deixam antever. " in Memórias Internadas

23.10.17

   Retomando:
   É pois o poeta, verdadeiramente, um ladrão de fogo.
   Ele tem a seu cargo a humanidade, os animais mesmo; deve fazer sentir, palpar, escutar as suas invenções; se aquilo que ele transmite de lá tem forma, ele dá a forma; se é informe, ele dá o informe. Achar uma língua;
   - De resto, sendo toda a palavra uma ideia, o tempo de uma linguagem universal virá! É preciso ser-se académico - mais morto que um fóssil - para compilar um dicionário, seja de que língua for. Um ser fraco que se meta a pensar sobre a primeira letra do alfabeto, e poderá rapidamente precipitar-se na loucura!-

ARTHUR RIMBAUD
Cartas do Visionário e Mais Nove Poemas
tradução e prefácio . Ângelo Novo
Fora do Texto 1995

Sem comentários:

Enviar um comentário